À Segunda Vista

Vaso

0
Diante de mim, um vaso marrom
Diante do vaso, um homem sem dom

Um vaso antigo diante de Deus
Um homem que sou, delírios meus

Um vaso de lírios secos e opacos
Um homem regado a desejos fracos

Suporte de madeira atacado por cupim
Um homem que suporta loucuras sem fim

Pétalas que caem sem qualquer confiança
Palavras que rasgo de um coração de criança

Djonatha Geremias