À Segunda Vista

Sensações

4
Djonatha Geremias
Içara, 21 de março de 2011

Sabe aquele momento em que você para tudo para pensar na sua vida?

Não tem aquela vontade de empurrar toda tralha para um lado só para fazer de conta que tem um espaço limpo para você fazer algo novo?

Lembra da sensação de lavar as mãos após aparar as unhas?

Ou de colocar uma toalha de banho já usada para lavar e se secar com uma limpinha?

Você já se deparou com o guarda-roupas todo desarrumado e jogou todas as roupas em cima da cama para poder dobrar de novo?

Sentiu o cheiro de detergente na mão após lavar a louça?

Ou já jogou um paninho seco sobre a louça molhada no escorredor após lavá-la?

Sabe quando você segura, na agência de xerox, aquele seu trabalho incrível encadernado?

Ou quando você abre um documento novo no Word e vê a página em branco?

Alguma vez você já colocou sem remorso um monte de roupas e calçados antigos em uma sacola grande e doou para alguma campanha?

O que era melhor: em uma fase difícil, sabendo que ia perder, jogar até o Game Over ou apertar o Restart e tentar melhor?

Sabe a sensação de desligar o ventilador, a TV, o som ou o computador e ouvir um zunido de silêncio na mente?

A silhueta da luz quando você fica no escuro de repente?

A textura de papéis de presente em épocas de Natal?

Aquela paradinha que o corpo dá quando o carro ou o ônibus para no semáforo?

A expectativa durante a abertura do programa de TV que você estava ansioso para ver?

Quando o beijo finalmente acontece?

Amassar ou rasgar um papel e jogá-lo no lixo?

A breve hesitação antes de apertar o SIM quando aparece “Tem certeza de que deseja esvaziar a Lixeira?”

Não tem quando você finalmente consegue a letra daquela música que você gostava mas não sabia cantar?

Pois então... legal, né?