À Segunda Vista

Vontade

0
Vontade de gritar na janela
De fechar os olhos e sorrir
Vontade de sentar no chão e meditar
De me jogar na cama e dormir

Vontade de cantar uma música nova
E dançar uma coreografia que nem existe
Cumprimentar todo mundo na rua
Por um fim a tudo que for triste

Vontade de repetir a dose
De te apertar contra a parede
Sucumbir ao teu sorriso em hipnose
Porque é de ti, e da tua tempestade,
a minha sede e a minha vontade

Djonatha Geremias